sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Isadora e jabuticabas

Amigo, queria te dizer que, nesse ano de 2014 as jabuticabas vieram lindas e carregaram os dois lados do pé. Lembra que no ano passado elas apareceram de um lado só? 
É bonito quando as flores começam a querer aparecer porque nessa hora são só pontinhos na madeira e a gente ainda não tem certeza. Mas depois vêm as flores brancas e minúsculas que dão origem a umas bolinhas verdes que a gente espera crescer. Quando as primeiras começam a ficar roxinhas a gente corre lá pra baixo da árvore, você sabe. E as jabuticabas ficaram lindas, grandes e escuras. É uma pena que elas parem de brotar tão rápido e em pouco mais de um mês já sobraram poucas no pé. Hoje eu e o pai colhemos uma vasilha cheia delas, apesar de que já estão diminuindo em número e qualidade. Seria muito bom se você estivesse aqui pra ver, mas como não está, vou te deixar essa foto, assim você pode ver melhor.




Tem mais uma coisa que eu gostaria que você soubesse, é sobre um presente qu'eu ganhei esse ano, você sabe, é a Isadora. Eu e meu irmão vamos batizá-la no dia sete de dezembro. Acho que você ainda não sabe, mas ela nasceu bem pequenininha e com um cabelo bem lisinho. Agora ela está com quase cinco meses, dá risada, tem o cabelo enroladinho e está bem gorda. É engraçado porque todos ficam tentando adivinhar a personalidade dela, isso me irrita um pouco. Eu acho, Cesar, que a nossa personalidade já nasce com a gente, mas o meio em que a gente vive faz variar bastante.
Particularmente, não quero ficar adivinhando a personalidade da Isadora, só acho que vai ser bonitinho quando começar a me chamar de madrinha.

Também acho um pouco exagerada a super proteção da Érica em cima dela, talvez não faça muito bem e chega a ser chato de vez em quando, mas eu fico na minha. Você sabe como é, daqui uns anos ela vai estar correndo por aí e levando tabefe na escola, então esse tipo de coisa não adianta muito.

Queria te contar que o curso qu'eu tive que fazer pra batizá-la foi realmente muito chato porque eu não entendia muito bem o que aquele senhor falava, mas prestando muita atenção consegui absorver alguma boa informação. Fiz o curso na gruta, ali perto da sua casa, mas vamos batizá-la na Paróquia de São Sebastião, em Quatro Barras.

Costumo pensar que não fui bater à porta de ninguém pra pedir para batizar a menina, foram eles que vieram até mim, então eu devo ser especial pra eles por algum motivo. Então vou fazer tudo que estiver ao meu alcance para que eu e a Isadora sejamos boas amigas e ensiná-la a contar comigo.

Acredito que presentes são bons. As bonecas que eu ganhei da minha madrinha estão guardadas até hoje, têm duas que eu amava tanto, lembro exatamente como foi o dia em que ganhei. Uma tem o cabelo comprido e uma cesta de pique-nique grande e cheia de frutas. Tem até croissant. Tem um vestido azul marinho com estampa de patinhos e uma gola branca em forma de babeiro. A outra tem o cabelo curto, feito em duas maria chiquinhas e tem um vestido rosa e florido cheio de laços de fita. Eu gostei tanto. Isso porque minha mãe costumava comprar aqueles bebês da Estrela que tinham só uma mecha de cabelos na cabeça, sabe? Acho que minha mãe tinha tanta vontade de ter esses bebês quando era criança, que acabava me dando muitos deles, ainda tenho duas guardadas. Mas as da minha madrinha não, tinham longos e lindos cabelos.

Apesar disso, quero ser mais que meros lindos presentes. Sabe aquela questão sobre personalidades? Então, quero ajudar a formar um pouquinho da personalidade da Isadora. Quero ensiná-la a ser uma pessoa íntegra, honesta e sensível com o mundo que está a volta dela. Você sabe que esses valores vêm desde quando somos crianças. Quero deixar minha marca na vida dela, nem que seja ensinando a dividir o lanche com as amigas ou a devolver o troco que sobrou. Quero que ela, longe dos cabrestos da sociedade, entenda que pode amar meninos, meninas, flores, senhorinhas tricotanto no parque, cachorrinhos e borboletas. Quero que ela lembre de mim como alguém que a ensinou a fazer a diferença. É bom ter boas marcas das pessoas que fazem parte da nossa vida, entende?  Quando amamos muito uma pessoa e percebemos que ela é capaz de fazer coisas ruins, continuamos amando muito, mas nosso coração fica entristecido. Agora, quando amamos uma pessoa e percebemos que ela é capaz de fazer e ensinar coisas boas, passamos a amá-la cada dia mais. Sabe, fico tão feliz quando alguém que eu gosto muito cumprimenta as serventes que estão limpando a sala de aula, é gratificante as boas atitudes das pessoas que nós amamos.

Queria deixar também uma foto que tirei da Isadora, agora, com quase cinco meses. Queria ouvir sua opinião sobre como ela é fofinha e mordível, mas não posso, infelizmente. Tenho absoluta certeza da festa que ela faria cada vez que te visse chegando, porque era assim que meu coração ficava cada vez que isso acontecia.







Com carinho,
Djessyka

Nenhum comentário:

Postar um comentário